Luz é o sonho efêmero da Escuridão


8 de dez de 2009

Jihad

Na aurora dos tempos começou a guerra.

A guerra está em toda parte, porque está dentro de cada um de nós. Toda vida é um campo de batalha.

Sem trégua, sem armistício.

Exércitos surgem, posições são cobradas, lealdades são traídas. Inutilmente: não haverá vencedores, não haverá vencidos, não há neutralidade. A guerra não é de ninguém; a guerra envolve a todos. E no final é cada um por si.

Todas as estratégias são permitidas, todos os truques válidos, todas as armas devem ser usadas, todas as alianças necessárias. E em tudo isso se verá a face do Inimigo.

A guerra é travada na loucura do dia-a-dia: a suposta realidade é a trincheira do combate. A guerra em que o Inimigo é conhecido não é a guerra. O Inimigo é o seu aliado.

Não há glória na guerra, não há heróis. Não há honra em ser guerreiro. Só o que há é a guerra.

Rendição não é opção. Morrer não é opção. Viver para combater é inevitável: o espólio da guerra é a próxima batalha.

A guerra continuará até o fim dos dias.

0 observador(es):